Câmbio 21 Ago 2017
Dólar (USD) R$ 3,31 | Euro (EUR) R$ 3,90
But o

Extensão Butão

Thimpu, Punakha, Paro

Explore o Butão, viajando por Thimpu, Punakha e Paro, através de seus templos antigos, picos cobertos de neves, vales verdejantes, festivais e uma nação construída baseada na Felicidade Bruta. Experimente a vida espiritual e simples no século XXI.

1º dia: Nova Delhi / Paro – aéreo
1º dia: Paro - Thimpu – terrestre
Café da manhã no hotel e traslado privativo ao aeroporto para embarque em voo com destino a Paro.

O voo até Butão passa através do grande Himalaia, oferecendo um cenário cintilante do pico mais alto do mundo. Entrando no vale de Paro, vista do Pa Chu (Rio Paro), descendo pelo vale, do Paro Dzong (fortaleza) e da Ta Dzong (torre de observação).

Tarde livre em Thimpu.

- Acomodação categoria standard: Phuntshoperli / River View / Peaseful Resort / Migmar ou similar

- Acomodação categoria primeira: Namgay Heritage em quarto tipo Deluxe room ou similar

- Acomodação categoria luxo standard: Taj em quarto tipo Deluxe room ou similar


2º dia: Thimpu
Após o café da manhã, dia inteiro de passeio pelo vale Thimpu.

A Livraria Nacional possui uma vasta coleção de textos e manuscritos antigos, alguns que datam de centenas de anos, bem como modernos livros acadêmicos, principalmente sobre a cultura e religião Himalaia.

Museu Têxtil e do Folclore: esses museus, ambos abertos em 2001, oferecem uma visão fascinante sobre a cultura de Butão e seu modo de vida.

Empório do Artesanato: apresenta grande variedade de tecidos e produtos lindamente trabalhados à mão.

Memorial Chorten: o ‘stupa’ foi construído em memória do terceiro Rei do Butão. As pinturas e estátuas dentro do monumento proporcionam um profundo conhecimento sobre a filosofia budista.

Trashichhodzong: as belas fortalezas / mosteiro que abriga o prédio da Secretaria, sala do Trono do Rei e outros escritórios do governo. É também a residência de verão do presidente Abade.


3º dia: Thimpu - Punakha – terrestre
Após o café da manhã, traslado para Dochu-la (3.088m / 10.130 pés), parando rapidamente para ver e admirar o ‘chorten’ (estupa – construção com base quadrada que se eleva em forma cônica), a parede Mani, e as bandeiras de oração que decoram o ponto mais alto da estrada. Se o céu estiver claro, os picos podem ser vistos desse local (da esquerda para a direita): Masagang (7.158m), Tsendagang (6.960m), Terigang (7.060m), Jejegangphugang (7.158m), Kangphugang (7.170m), Zongphugang (7.060m), uma montanha que domina a isolada região de Lunana e, finalmente, Gangkar Puensum, o pico mais alto de Butão, com 7.497m.

Chegada e check-in no hotel.

À tarde, visita a Punakha Dzong, uma estrutura massiva, construída na junção de dois rios. Esta era a capital de Butão até 1955, e ainda serve como residência de inverno do corpo de monges. O primeiro rei, Ugyen Wangchuk, foi coroado ali em 1907. A fortaleza tem resistido a vários danos causados por terremotos, fogo e inundações. A última inundação, em outubro de 1994, causou grandes danos à fortaleza, mas milagrosamente, poupou a estátua do Buda Jojampa.

- Acomodação categoria standard: Zangtoperli / Damchen / Meri Phunsum / Punatsangchu / YT / similar

- Acomodação categoria primeira: Kuenzang Zhing Resort em quarto tipo Luxury Room ou similar

- Acomodação categoria luxo standard: Uma em quarto tipo Superior Room ou similar


4º dia: Punakha - Paro – terrestre
Depois do café da manhã, viagem até Paro, com parada em Wangduephodrang Dzong no meio do caminho para visitar o majestoso forte no topo da colina, na confluência dos rios Punakha Chhu e Tang Chhu, e certamente a característica mais visível da cidade de Dzong.

Continuação da viagem até Paro e, na chegada, check-in no hotel.

À tarde, visita a Ta Dzong, inicialmente uma torre de vigia, construída para defender Rinpung Dzong durante as guerras entre os vales no século XVII, Ta Dzong passou a ser o Museu Nacional do Butão em 1968. Abriga fascinantes coleções de arte, relíquias, pinturas religiosas thangkha e requintados selos postais do Butão.

Logo depois, descida da colina por uma trilha para visitar Rinpung Dzong, que tem uma longa e fascinante história. Construído em 1646 por Shabdrung Ngawang Namgyal, o primeiro governante espiritual e temporal do Butão, Dzong acomoda o corpo monástico de Paro, o escritório do Dzonga (chefe administrativo do distrito) e Thrimpon (juiz) do distrito de Paro. A entrada no Dzong é através de uma ponte tradicional, coberta, chamada Nemi Zam. Uma caminhada através da ponte, ao longo de um caminho de pedra incrustada, oferece uma boa visão da maravilha arquitetônica de Dzong, bem como a vida em torno dele.

- Acomodação categoria standard: Metta Resort / Udumwara / Olathang / Namsey Resort / Tiger Nest ou similar

- Acomodação categoria primeira: Naksel em quarto tipo Deluxe Room ou similar

- Acomodação categoria luxo standard: Zhiwaling em quarto tipo Junior Suite room ou similar


5º dia: Paro
Após o café da manhã, saída para a excursão ao Mosteiro Taktsang (cinco horas de caminhada). É um dos mais famosos mosteiros do Butão, situado ao lado de um penhasco de 900m acima do vale de Paro. Diz-se que o Guru Rinpoche chegou ali montado em uma tigresa e, como meditava no mosteiro, passou a ser chamado de "ninho do tigre". Este local tem sido reconhecido como o lugar mais sagrado e visitado por Shabdrung Ngawang Namgyal em 1646, e por todos os butaneses pelo menos uma vez na vida. Em 19 de abril de 1998, um incêndio danificou seriamente a estrutura principal do edifício, mas agora esta joia do Butão foi restaurada ao seu esplendor original.

Na parte da tarde, visita a Drukgyel Dzong: com uma encantadora vila a seus pés, foi construída em 1646 por Shabdrung Ngawang Namgyal para comemorar sua vitória sobre os invasores tibetanos. A glória de Drukgyel Dzong permaneceu mesmo quando foi destruída por um incêndio em 1951. Em um dia claro, é possível avistar o imponente Monte Chomolhari, abaixo do Dzong.

Kyichu Lakhang é um dos santuários mais antigos e sagrados do reino que remonta ao século VII (o outro é Jambey Lakhang em Bumthang). O complexo Lakhang é composto de dois templos. O primeiro foi construído pelo rei tibetano Songtsen Gampo, no século VII e, em 1968, a HM Ashi Kesang, a Rainha Mãe do Butão, construiu o segundo templo no mesmo padrão original.

Pernoite no hotel.


6º dia: Paro / Nova Délhi – aéreo
No horário previsto, traslado até o aeroporto de Paro e embarque no voo com destino a Nova Délhi.

Neste roteiro inclui:
- Passagem aérea Délhi / Paro / Délhi em classe econômica;
- Acomodação em hotéis mencionados ou similar;
- 3 refeições diárias nos hotéis ou restaurantes locais;
- Traslados e transportes nos deslocamentos;
- Guia falando inglês durante as visitas;
- Taxas de entradas nos monumentos;
- 35% da taxa governamental.


Neste roteiro não inclui:
- Taxa IRRF de transferência bancária referente pagamento ao fornecedor estrangeiro;
- Taxas de embarque adicionais;
- Despesas com documentação e vistos consulares;
- Passeios opcionais;
- Bebidas durante refeições;
- Antecipação no horário de chegada (early check-in);
- Prorrogação no horário de saída (late check-out);
- Gorjetas para carregadores de malas nos aeroportos e hotéis;
- A tradicional gorjeta ao guia e/ou motorista, a critério de cada passageiro;
- Extras de caráter pessoal como: lavanderia, telefonemas, bebidas alcoólicas, alimentação extra, gorjetas, consumo de minibar e tudo que não estiver mencionado como incluído no roteiro.

Consulte-nos.

- Sinal de 25% no boleto bancário para reserva.
- Saldo (incluindo IRRF e taxas) em 10 vezes sem juros nos cartões Visa, Mastercard e American Express ou em até 6 vezes sem juros no cartão Diners.

Reserva:
Para tal solicitamos um sinal de 25% do valor do pacote por passageiro sendo este descontado no restante do pagamento. Caso a reserva não se confirme o mesmo será reembolsado. Desistência por parte do passageiro após confirmação das reservas não haverá reembolso do sinal.


Alterações:
Mudanças após confirmação total será cobrada multa de US$ 100,00 + multa de hotéis, empresas aéreas e outras empresas envolvidas quando vigentes.

Caso a passagem já tenha sido emitida, as penalidades e multa das companhias aéreas envolvidas estarão vigentes também.


Condições de cancelamento:
- Parte terrestre:
Até 45 dias antes do início da viagem: 10% do valor do pacote por pessoa de taxas administrativas e eventuais multas dos fornecedores envolvidos conf. condições contratuais. Caso a passagem já tenha sido emitida, as penalidades e multa das companhias aéreas envolvidas estarão vigentes também.

De 44 a 31 dias antes da viagem: perda de 30% (trinta por cento) sobre o valor total do pacote.

De 30 a 16 dias antes da viagem: perda de 50% (cinquenta por cento) sobre o valor total do pacote.

Menos de 15 dias antes do inicio da viagem: perda de 100% (cem por cento) do valor total do pacote, independente dos motivos apresentados pelo passageiro.

- Parte aérea:
As tarifas aéreas usadas nos pacotes têm condições restritas e muitas vezes não reembolsáveis. Em caso de cancelamento a multa varia de 25% a 100% do valor pago dependendo da companhia aérea e das condições da tarifa aplicada.