Câmbio 15 Dez 2017
Dólar (USD) R$ 3,49 | Euro (EUR) R$ 4,10
Vietna

Destino Vietnã

A paisagem deslumbrante, os rios em encontro com os campos de arroz e agricultores com chapéus cônicos formam a imagem clássica do VIetnã.

Conheça o Vietnã

Poucos países mudaram tanto ao longo de um curto período de tempo como o Vietnã. É um país cheio de esperanças e em movimento: o acesso é agora mais fácil do que nunca, as estradas estão sendo modernizadas e os hotéis estão surgindo. O espírito empreendedor estridente do Vietnã está novamente vivo, enquanto o antigo sistema comunista dá lugar a uma economia socialista de mercado. À medida que o número de turistas que visitam o país sobe, a conversa não é sobre crateras de bombas e munições do exército e sim sobre campos de arroz e praias de areia branca e fina, cidades em rápido crescimento e antigos pagodes.  

Apesar do fascínio das grandes cidades como Hanói, Ho Chi Minh City e outros grandes centros, é a impressionante paisagem do país que mais deslumbra. O Vietnã ocupa uma estreita faixa de terra, fazendo fronteira com o Camboja e Laos a oeste e com o Mar da China Meridional a leste. É no delta dos rios Vermelho (norte) e Mekong (sul) que se encontram os campos de arroz, as libélulas, os búfalos e os agricultores com chapéus cônicos que constituem a imagem clássica do Vietnã.  

Qual a melhor época para visitar o Vietnã?

É recomendado visitar o país entre novembro e março, quando a temperatura fica mais agradável e ocorrem poucas chuvas, com temperatura média de 22°C.

Clima no Vietnã

O Vietnã está localizado tanto em uma zona tropical quanto temperada. É caracterizada por fortes influências das monções (quente e chuvoso, predominantemente entre maio e outubro), mas tem uma quantidade considerável de sol, um alto índice de chuvas e alta umidade. Nas regiões próximas aos trópicos e nas montanhosas, tem um clima temperado.  

Principais cidades e atrações para visitar no Vietnã

Hanói

Ancorado firmemente no delta do Rio Vermelho, Hanói tem servido como capital do Vietnã por mais de mil anos. É uma cidade em rápido crescimento, decididamente orgulhosa, um lugar de pagodes e templos dinásticos (mais de 600 pequenos templos religiosos), de lagos com tamargueira e elegantes avenidas com construções da era colonial francesa, de monumentos nacionais e edifícios públicos imponentes. Apesar da onda de desenvolvimento que envolve todo o Vietnã, ainda é comum ver as pessoas praticando Tai Chi na beira dos lagos numa mostra que o tradicional ainda resiste às transformações.  

Ho Chi Minh City

No núcleo do delta do Mekong, Ho Chi Minh City, anteriormente conhecida como Saigon, é a segunda mais importante cidade no Vietnã, depois de Hanói. Não é apenas um centro comercial, mas também científico, tecnológico, industrial e turístico. A cidade é banhada por muitos rios, córregos e canais, sendo o maior o Rio Saigon. O Porto de Saigon, criado em 1862, é acessível a navios com até 30 mil toneladas, uma vantagem rara em um porto fluvial de interior. Atrai um grande número de visitantes com suas várias atrações como Ho Chi Minh Museum, Cu Chi Tunnels – sistema de túneis construído pelos vietnamitas durante a guerra com os Estados Unidos –, teatros, casas de cultura, parques e muito mais.
 

Halong Bay

Candidata finalista a uma das 7 novas maravilhas do mundo e declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco, Halong Bay impressiona pelos milhares de ilhotas que formam uma estonteante paisagem composta de diversos paredões de calcário. Uma enorme variedade de praias, grutas e cavernas fazem de Halong Bay uma parada obrigatória entre os destinos do Vietnã.
 

Hoi An

Esquecida durante as guerras, Hoi An é uma das poucas cidades do Vietnã que parecem ter saído ilesas e até hoje retém o charme de uma rica fusão arquitetônica entre as culturas chinesa, japonesa, vietnamita e influências europeias que datam do século 16. Em seu auge, no agora sonolento canal do rio Thu Bon, havia uma multidão se acotovelando em navios mercantes vindos de grandes nações comerciais.  

Concedida a condição de Patrimônio Mundial da Unesco em 1999, o ponto mais fotografado da cidade é sem dúvida a bela ponte japonesa coberta. Entre outras atividades populares estão: excursão de um dia às ruínas do santuário My Son, fazer um passeio de bicicleta pela área rural que circunda a cidade ou fazer um passeio pelo rio Thu Bon.
 

Hué

Embora a dinastia Nguyen não exista mais, Hué exala um ar de realeza. Ainda é terreno fértil para poetas, artistas, acadêmicos e intelectuais, além de concentrar muito mais jovens do que em outras cidades – em grande parte porque, ao contrário de outros lugares no Vietnã, estudantes do sexo feminino continuam a usar o traje típico vietnamita ao dai.  

A cidade divide-se em três áreas urbanas claramente definidas, cada uma com seu próprio caráter. A cidadela fortificada do século 19, na margem norte do rio Perfume, contém a magnífica Cidade Imperial, bem como uma extensa grade de ruas residenciais e jardins. Do outro lado do Dong Ba Canal, encontra-se Phu Cat, o quarteirão dos comerciantes onde os navios atracavam e agora é um bairro cheio de lojas, Chinese Assembly Halls e pagodes. O que costumava ser chamado de cidade europeia, um triângulo de terra entre a margem sul do rio Perfume e Phu Cam Canal, é agora o moderno centro administrativo de Hué, onde se encontram a maioria dos hotéis e serviços turísticos.