Câmbio 13 jul 2020
Dólar (USD) R$ 5,54 | Euro (EUR) R$ 6,29
Suica zurique

Turismo Suíça

Um destino eclético, que encanta pela sua organização, beleza natural e de suas cidades e gastronomia internacional.

Melhor época para visitar

Todos estereótipos são verdadeiros – o queijo, o chocolate, os a relógios, pontualidade - mas a Suíça é muito mais que isso. As principais cidades são cosmopolitas e vibrantes, a malha de transporte é excelente e as paisagens são de tirar o fôlego. A Suíça é diversa e multilíngue - quase toda a população de 7.9 milhões de pessoas fala um pouco de inglês junto com pelo menos um dos quatro idiomas oficiais – alemão, francês, italiano e reto-romano.

As paisagens deslumbrantes da Suíça convidam a ação. No inverno, esqui e snowboard em Graubünden, Bernese Oberland e Suíça Central. Quando as pastagens ficam verdes, as trilhas para caminhadas e ciclismo dominam as áreas montanhosas. Para um outro ponto de vista das belezas suíças, uma boa pedida é um voo balão ou um salto de paraquedas. Na lista de desejo de muitos viajantes, a montanha Eiger e o Passo Jungfraujoch, também conhecido como o topo da Europa.

A base da economia suíça é o trabalho altamente. A microtecnologia, a alta tecnologia, a biotecnologia, a indústria farmacêutica e o know-how no setor bancário e de seguros são importantes ramos da economia.

Os suíços adoram fazer caminhadas e com mais de 65.000 km de trilhas marcadas, a maioria delas com vistas impressionantes, não é difícil entender por que. As regiões de Jungfrau e Zermatt são bastante populares entre os locais. Também é possível fazer trilhas de bicicletas, todas muito bem sinalizadas.

No inverno, o cenário espetacular e uma excelente infraestrutura de transporte fazem da Suíça um dos principais destinos da Europa para esquiar, fazer caminhadas e escalar. Os resorts da região de Jungfrau - Grindelwald, Murren e Wengen atendem bem esquiadores intermediários. Para quem visita a Suíça no verão e ainda assim quer esquiar, tem-se a opção das geleiras de Saas Fee e Zermatt.

Pontos turísticos

Matterhorn

A montanha símbolo da Suíça é considerada uma das mais fotografadas do mundo. Pela estação Klein-Matterhorn (Matterhorn Paradise), separada da Matterhorn pela passagem de Theodul e pela geleira, tem-se uma vista fantástica desta montanha em formato piramidal, dificílima de escalar. Os visitantes podem embarcar no teleférico aéreo em Zermatt levando até o observatório mais alto dos Alpes, a 3820 metros acima do nível do mar.

Aletsch

A região de Aletsch faz parte de um Patrimônio Mundial da UNESCO, circundando a maior geleira dos Alpes: a imensa e bela Grande Geleira de Aletsch, que representa o mais poderoso fluxo de gelo dos Alpes (incríveis 11 bilhões de toneladas de gelo). Além disso, toda a região é um habitat para muitas espécies raras de animais e plantas, como, na Floresta Aletsch.

Inúmeros pontos de observação oferecem uma boa visão da geleira, inclusive com acesso por teleférico para uma vista magnífica da parte superior da grande geleira. A facilidade de acesso faz com que seja um atrativo bastante popular, com a localização ideal para caminhadas, esportes de inverno e passeios na natureza.

Jungfraujoch

Conhecida como o topo da Europa, a viagem pela ferrovia de Jungfrau chega à estação mais alta da Europa, a 3.454 metros de altitude – diretamente no coração do Alpes Suíços Jungfrau-Aletsch, Patrimônio Mundial da UNESCO. Durante o ano inteiro, saindo de Kleine Scheidegg, o trem de cremalheira sobe até Jungfraujoch por um túnel de sete quilômetros de extensão, construído entre 1896 e 1912. Duas paradas dentro do túnel oferecem vistas espetaculares da geleira. No alto da montanha, os visitantes podem admirar a beleza cênica no observatório Sphinx, brincar na neve no Snow Fun Park, se aventurar na geleira de Aletsch, ou explorar o Palácio de Gelo.

Bernina Express

O Bernina é um trem panorâmico que liga o norte ao sul da Europa na Rhaetian Railway, Patrimônio Mundial da UNESCO. Atravessar os Alpes a bordo do Bernina Express é uma das maneiras mais espetaculares de conhecer a região. O trem passa por 55 túneis e mais de 195 pontes no percurso de Chur a Tirano. Dentre os cenários apresentados aos viajantes estão: a curva de Montebello, com vista para o maciço de Bernina; a geleira Morteratsch; os lagos Lej Pitschen, Lej Nair e Bianco; o Alp Grüm; e o viaduto circular de Brusio.

Principais cidades

Zurique

Culturalmente vibrante, localizada no encontro de rios e lagos, Zurique é frequentemente reconhecida como uma das melhores cidades do mundo para se viver. Reconhecida como um centro financeiro experiente e dedicado, a maior e mais rica metrópole da Suíça se consolida no século XXI como um dos destinos mais badalados da Europa Central

O que fazer em Zurique

  • A igreja Grossmünster é um marco de Zurique e suas torres gêmeas não são apenas destaque no cenário da cidade; é possível subi-las para uma linda vista da cidade.
  • No boulevard Bahnhofstrasse pode-se encontrar de tudo: moda, arte e especialidades de Zurique, que atraem tanto moradores locais quanto visitantes.
  • O lago de Zurique, que já foi uma rota de transporte, hoje é popular para nadar, andar de barco ou fazer um piquenique nas margens.
  • Tendo como vizinhos a Opera House, o Kronenhalle, o Café Odeon e o Lago Zurique, a praça Sechseläutenplatz é o ponto ideal para começar um tour pela cidade.

Lucerna

Essa pequena cidade, próxima ao lago Lucerna, é a porta de entrada da Suíça central e é muito conhecida pelos seus contrastes de pitorescas casinhas muito bem preservadas com construções com designs inovadores. Alem disso, a cidade também se destaca economicamente pela sua atividade industrial, seja ela têxtil, metalúrgica ou madereira, por exemplo.

O que fazer em Lucerna:

  • Museggmauer: Esta é uma Muralha muito bem preservada que protegia a cidade na Idade Média. No alto das torres é possível ter uma vista incrível da cidade e das montanhas que a cercam. Quando estva sendo construída, no século XIV, cada torre foi feita com uma estética diferente pois o objetivo não era apenas a proteção da cidade, mas também funcionar como cartão de visitas e passar a ideia de ser uma cidade em ascensão.
  • Kapellbrücke: Essa é a ponte coberta mais antiga da Europa, datada do século XIV e contendo, aproximadamente, 240 metros de extensão. Essa ponte fica na foz do rio Reuss e liga a parte nova da cidade com o centro histórico, permitindo apenas a passagem de pedrestres.
  • Hofkirche: A cidade possui inúmeras igrejas, entretando, a que mais se destaca é a Igreja de Hofkirche, com suas origens romanas.
  • O Leão de Lucerna: Uma das principais atrações da cidade é uma escultura em pedra de um leão, impressionantemente lapidada em uma montanha. Esse leão representa o exército suíço que foi massacrado durante a revolução francesa e é datado de 1820.

Montreux

Localizada às margens do rio Genebra, essa cidade é mundialmente famosa pelo festival de Jazz que abriga, geralmente, durante o mês de julho. Além disso, destaca-se pelos vinhedos em seus arredores.

O que fazer em Montreux:

  • Chatêau de Chillon: Esse é o castelo mais famoso da Suíça, datado de (aproximadamente) 1150. Foi cenário de inspiração par grandes nomes como Jean-Jacques Rousseau e Victor Hugo. Hoje, o castelo é aberto a visitação.
  • Lavaux: Essa é a região vinícola que mais produz na Suíça e é considerada um Patrimônio Cultural da Unesco desde 2007. A melhor época para visitar esse atrativo é de maio a agosto (por conta da primavera e do verão), entretanto, também é interessante durante o outono por conta das cores alaranjadas das folhas.
  • Lago Genebra: O maior lago da Suíça, que é compartilhado com a França, possui uma linda vista para os Alpes. Nessa atrativo, é possível realizar um passeio de barco pelo Lago ou então dar uma volta na orla do Lago.
  • Montreux Cassino: O cassino da cidade, além de ter uma belíssima vista do lago, foi a inspiração da música “Smoke on the Water” do grupo Deep Purple. O cassino foi visitado por famosas bandas como Led Zeppelin, Queen e Pink Floyd.

Basel

Localizada às margens do rio Reno, Basel é muito conhecida pelo seu centro histórico medieval e é cosniderada a capital cultural da Suíça. 

O que fazer em Basel

  • Marktplatz e Rathaus: A praça de Marktplatz possui um mercado aberto onde são comercializadas flores, vegetais e frutas locais. Nessa praça fica localizada a Rathaus, com sua impressionante arquitetura medieval, sendo hoje a sede do governo da cidade.
  • Catedral de Basel: Finalizada em 1500, a Catedral é um dos principais símbolos da cidade. Recomenda-se visitar não somente seu interior, mas também visitar seu terraço que oferece uma vista única da cidade e do rio.
  • Freie Strasse: É a principal rua comercial da cidade que também possui muitas opções de cafés que ofecerem iguarias locais.

Clima da Suíça

O clima é moderado e as estações do ano bem definidas e diferenciadas. O outono (de setembro a novembro) apresenta um lindo espetáculo com a troca de cores das folhas das árvores. Os invernos rigorosos, com grande quantidade de neve, já não são regra, especialmente nas planícies. Na primavera (de março a maio), as árvores florescem e os prados ficam verdes. No verão, a temperatura sobe para 25 a 30 °C.

Melhor época para visitar a Suíça

A melhor época para visitar a Suíça depende do tipo de itinerário que se deseja fazer: se com foco em visita às cidades ou para explorar as montanhas.

As cidades são mais visitadas nos meses de verão (junho a setembro). Durante o inverno, a maioria das cidades recebe grandes quantidades de neve, embora isso raramente faça com que a vida pare.

Nas montanhas, as duas estações principais ocorrem de junho a outubro e de meados de dezembro a meados de abril; entre esses tempos, a maioria dos resorts de montanha fecha.

Como circular pela Suíça

O transporte público é abrangente. A viagem de trem é confortável, sem complicações e extremamente cênica, com rotas pela montanha que são uma atração à parte. A rede nacional é perfeitamente integrada às muitas rotas, especialmente às linhas alpinas, operadas por empresas locais.

Outra forma de transporte que vale a pena explorar são as balsas de lago, que operam de abril a outubro.